TST - AIRR - 1543/2003-074-02-40


07/mar/2008

CONTRIBUIÇÕES ASSISTENCIAIS COBRANÇA DE EMPREGADOS NÃO FILIADOS AO SINDICATO ORIENTAÇÃO JURISPRUDENCIAL 17, PR E CEDENTE NORMATIVO 119, AMBOS DA SDC E ENTENDIMENTO DOMINANTE DA SBDI-1 DO TST. 1. A decisão regional deslindou a controvérsia concernente à contribuição assistencial em consonância com a jurisprudência pacífica e reiterada do TST, consubstanciada na Orientação Jurisprudencial 17 e no Precedente Normativo 119, ambos da SDC. Com efeito, o entendimento aí sedimentado segue no sentido de que a Constituição da República, em seus arts. 5º, XX, e 8º, V, assegura o direito de livre associação e sindicalização, sendo ofensiva a essa modalidade de liberdade a instituição de cláusula em acordo, convenção coletiva ou sentença normativa que estabeleça contribuição em favor de entidade sindical a título de taxa para custeio do sistema confederativo, assistencial, revigoramento ou fortalecimento sindical e outras da mesma espécie, obrigando trabalhadores não sindicalizados. Dessa forma, restam efetivamente nulas as estipulações que não observem tal restrição e passíveis de devolução os valores irregularmente descontados. 2. Vale ressaltar que a Subseção Especializada em Dissídios Individuais do TST abarca o posicionamento do mencionado Precedente Normativo (TST-E-RR-362.159/1997.6, Rel. Min. Carlos Alberto, SBDI-1, DJ de 14/09/01; TST-E-RR-7.060/2002-902-02-00, Rel.

Tribunal TST
Processo AIRR - 1543/2003-074-02-40
Fonte DJ - 07/03/2008
Tópicos contribuições assistenciais cobrança de empregados não filiados ao sindicato orientação, a decisão regional deslindou.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›