Este é um exemplo grátis dos 1.500 resumos que você pode ter acesso como assinante do DireitoNet.

Resumos

Cessão de direitos hereditários

O artigo 1.793 do Código Civil dispõe que o direito a sucessão aberta, bem como o quinhão de que dispõe o co-herdeiro pode ser objeto de cessão por escritura pública.

Revisão geral. Este material não sofreu alterações até esta data. (03/mai/2017)
Revisão geral. Este material está atualizado de acordo com o CC e não sofreu novas alterações até esta data. (21/dez/2011)
Publicado originalmente no DireitoNet. (15/ago/2007)
Perguntas & Respostas (0)

O art. 1.793, do Código Civil (CC), dispõe que: "O direito à sucessão aberta, bem como o quinhão de que disponha o co-herdeiro, pode ser objeto de cessão por escritura pública".

O herdeiro, então, pode vender seu direito hereditário sobre uma coisa indivisível.

Ex: 3 herdeiros, cada um tem 1/3 da herança - o herdeiro poderá vender seu quinhão.

Importante é perceber que o herdeiro não poderá individualizar o que está vendendo.

Pode ocorrer que o de cujus tenha deixado três casas iguais para cada um dos três filhos, então cada filho receberá uma casa. Mas o herdeiro não pode dizer que vende a casa, pois seu direito não é sobre a casa, ainda é sobre 1/3 da herança.

Lembre-se que o herdeiro é o cedente. Quem compra é o cessionário.

Art. 1.793, §1°, do CC, dispõe que o herdeiro não pode individualizar os direitos hereditários que cede, a herança deve ser considerada singularmente.

"Art. 1.793. (...)
§1° Os direitos, conferidos ao herdeiro em conseqüência de substituição ou de direito de acrescer, presumem-se não abrangidos pela cessão feita anteriormente
".

Art 1.793, §3°, do CC: é ineficaz essa disposição sem prévia autorização do juiz do inventário.
"Art. 1.793. (...)
§3° Ineficaz é a disposição, sem prévia autorização do juiz da sucessão, por qualquer herdeiro, de bem componente do acervo hereditário, pendente a indivisibilidade
".

Por estarmos tratando de indivisibilidade, observa-se que há um condomínio entre os herdeiros. Se o cessionário adquirir todos os direitos hereditários, ele requererá o inventário sozinho; se for cessionário de parte ideal, normalmente ele não requererá o inventário e esperará que os outros herdeiros a requeiram.

Requerido o inventário, o cessionário se habilita nele como cessionário de direitos hereditários, e sua parte será reservada. Na partilha ela será individualizada.

Na herança, os herdeiros são condôminos de partes ideais de uma coisa indivisível, até final partilha.

Os condôminos em coisa indivisível podem vender a parte ideal, mas devem dar preferência aos outros condôminos (art. 504).

Por analogia, para os herdeiros venderem sua parte ideal devem dar preferência aos outros herdeiros. Se não for dada essa preferência, qualquer um dos herdeiros poderá anular a cessão em 180 dias e haver para si o quinhão hereditário que foi cedido para um estranho.

Art. 1.794 do CC diz que: "O co-herdeiro não poderá ceder a sua quota hereditária a pessoa estranha à sucessão, se outro co-herdeiro a quiser, tanto por tanto".

Ao co-herdeiro a que não se der conhecimento da cessão caberá a possibilidade de depositar o preço e pegar para si o quinhão, se o requerer até 180 dias após a cessão (art. 1.795 do CC).

"Art. 1.795. O co-herdeiro, a quem não se der conhecimento da cessão, poderá, depositado o preço, haver para si a quota cedida a estranho, se o requerer até cento e oitenta dias após a transmissão.


 

Imprimir  
Perguntas & Respostas (0)
Ainda não há nenhuma pergunta respondida sobre este conteúdo.
Envie sua pergunta

Nossa equipe está a sua disposição para complementar as informações contidas neste conteúdo. Confira abaixo as regras para envio de perguntas ao DireitoNet:

Antes de enviar uma pergunta, sugerimos que faça uma busca no DireitoNet já que muitas das respostas podem ser encontradas no site
Sua pergunta deve ser objetiva, relacionada ao conteúdo acima e relevante para os demais leitores do DireitoNet
Caso sua pergunta seja respondida, você será avisado por e-mail e sua pergunta será publicada nesta página de forma anônima
Perguntas sobre casos específicos ou que incluam qualquer tipo de identificação pessoal não serão respondidas. Se você procura consultoria jurídica, recomendamos que consulte um advogado
Fica a critério do DireitoNet avaliar a relevância da pergunta e oferecer uma resposta

Você deve ser assinante do DireitoNet para poder enviar uma pergunta. Faça já sua assinatura e tenha também acesso a todo o conteúdo do DireitoNet.

Faça sua assinatura