TST - RR - 28132/2002-011-11-00


18/ago/2006

INSS. ACORDO HOMOLOGADO JUDICIALMENTE. INDICAÇÃO DAS PARCELAS. NATUREZA INDENIZATÓRIA. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA INDEVIDA. VIOLAÇÃO LEGAL E CONSTITUCIONAL NÃO DEMONSTRADA O § 3º do art. 832 da CLT determina que as decisões cognitivas ou homologatórias deverão sempre indicar a natureza jurídica das parcelas constantes da condenação ou do acordo homologado (...). Atendida a regra imposta na lei, com a expressa discriminação no termo conciliatório das verbas e seus respectivos valores, não há como se discutir a pretensão do INSS para que, no acordo homologado judicialmente, a contribuição previdenciária incida sobre parcelas indicadas pelas partes como de natureza indenizatória. A transação homologada judicialmente, quando não indicado vício ou coação, deve ser recepcionada em face do princípio da conciliação que rege o direito do trabalho. Dispositivos constitucionais e legais não violados e divergência jurisprudencial não demonstrada inviabilizam o conhecimento do apelo, nos moldes do art. 896, alíneas a e c, da CLT. Recurso de revista não conhecido.

Tribunal TST
Processo RR - 28132/2002-011-11-00
Fonte DJ - 18/08/2006
Tópicos inss, acordo homologado judicialmente, indicação das parcelas.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›