STJ - REsp 1042559 / RJ RECURSO ESPECIAL 2008/0064353-3


13/out/2008

CONSTITUCIONAL. TRIBUTÁRIO. REPETIÇÃO DE INDÉBITO. TRIBUTOS SUJEITOS
A LANÇAMENTO POR HOMOLOGAÇÃO. PRAZO PRESCRICIONAL. LC 118/2005.
COMPENSAÇÃO. AUSÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL.
1. Sobre a prescrição da ação de repetição de indébito tributário de
tributos sujeitos a lançamento por homologação, a jurisprudência do
STJ (1ª Seção) assentou o entendimento de que, no regime anterior ao
do art. 3º da LC 118/05, o prazo de cinco anos, previsto no art. 168
do CTN, tem início, não na data do recolhimento do tributo indevido,
e sim na data da homologação – expressa ou tácita - do lançamento.
Assim, não havendo homologação expressa, o prazo para a repetição do
indébito acaba sendo de dez anos a contar do fato gerador.
2. A norma do art. 3º da LC 118/05, que estabelece como termo
inicial do prazo prescricional, nesses casos, a data do pagamento
indevido, não tem eficácia retroativa. É que a Corte Especial, ao
apreciar Incidente de Inconstitucionalidade no Eresp 644.736/PE,
sessão de 06/06/2007, DJ 27.08.2007, declarou inconstitucional a
expressão "observado, quanto ao art. 3º, o disposto no art. 106, I,
da Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966 – Código Tributário
Nacional", constante do art. 4º, segunda parte, da referida Lei
Complementar.
3. Ausência de interesse recursal quanto à matéria em torno da
compensação, pois o acórdão recorrido limitou a compensação dos
créditos da contribuição ao PIS com débitos do próprio PIS, não
tendo, em momento algum, deferido que o encontro de contas se desse
com outros tributos.
4. Recurso especial parcialmente conhecido e, nessa parte,
desprovido.

Tribunal STJ
Processo REsp 1042559 / RJ RECURSO ESPECIAL 2008/0064353-3
Fonte DJe 13/10/2008
Tópicos constitucional, tributário, repetição de indébito.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›