Dicionário jurídico

Marco civil da internet

Atualizado até a Lei nº 13.709/2018. (15/ago/2018)
Publicado originalmente no DireitoNet. (27/mar/2017)
Perguntas & Respostas (8)

A Lei nº 12.965/14, conhecida como Marco Civil da Internet (MCI), estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da internet no Brasil, além de determinar algumas diretrizes a serem seguidas pelo Poder Público sobre o tema. A norma também traz regras específicas a serem cumpridas por agentes que operam na internet, especialmente as dirigidas aos provedores de acesso e de conteúdo. Nota-se que as suas regras e princípios têm implicação direta em tudo o que ocorre na internet em âmbito brasileiro, inclusive no comércio eletrônico, enquanto envolvem produção e circulação de bens e serviços.

Há, também, uma grande preocupação do legislador com o direito à privacidade e à liberdade de expressão dos usuários, ficando estabelecido que nas comunicações ambos os direitos constitucionais sejam condições para o pleno exercício do direito de acesso à internet. A lei ainda cuida especificamente sobre os direitos e garantias dos usuários (artigos 7º e 8º), sobre a proteção aos registros, aos dados pessoais e às comunicações privadas, nos artigos 10 a 12, e sobre a atividade dos provedores (artigos 23).

Portanto, a positivação de certas questões foi necessária tendo em vista que o avanço tecnológico acabou criando situações que o ordenamento jurídico não tratava expressamente, permitindo assim interpretações variadas. Entretanto, uma norma muito específica no campo da internet (e da tecnologia da informação em geral) sem dúvida estaria fadada à obsolescência de forma muito rápida. Por isso, o Marco Civil da Internet é uma lei principiológica, mas com a capacidade de promover uma maior transparência e confiança no uso da internet, bem como ampliar a segurança jurídica no Brasil.

Fundamentação:

Lei nº 12.965/14

Temas relacionados:

Referências bibliográficas:

TEIXEIRA, Tarcísio. Comércio eletrônico: conforme o Marco Civil da internet e a regulação do e-commerce no Brasil. São Paulo: Saraiva, 2015.

Veja mais sobre Marco civil da internet no DireitoNet.

Imprimir  
Perguntas & Respostas (8)
 
Qual o papel a ser exercido pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados, de acordo com a LGPD?

Trata-se de órgão da administração pública responsável por zelar, implementar e fiscalizar o cumprimento desta Lei em todo o território nacional.

Respondida em 09/10/2019
 
A LGPD se aplica extraterritorialmente?

Sim, nos caos de transferência de dados pessoais para país estrangeiro ou organismo internacional do qual o país seja membro.

Respondida em 09/10/2019
 
Quem são os agentes de tratamentos de dados para a LGPD?

Os agentes de tratamento são o controlador e o operador.

Respondida em 09/10/2019
 
O que a LGPD considera como dados sensíveis?

Para os fins da lei, dados sensíveis são aqueles relacionados a origem racial ou étnica, convicção religiosa, opinião política, filiação a sindicato ou a organização de caráter religioso, filosófico ou político, dado referente à saúde ou à vida sexual, dado genético ou biométrico, quando vinculado a uma pessoa natural.

Respondida em 09/10/2019
 
Em que casos a Lei Geral de Proteção de Dados não se aplica?

A lei não se aplica para o tratamento realizado para fins exclusivamente jornalísticos, artísticos, acadêmicos, segurança pública, etc. (art. 4º, LGPD).

Respondida em 09/10/2019
 
O que a LGPD entende como legítimo interesse?

O legítimo interesse do controlador somente poderá fundamentar tratamento de dados pessoais para finalidades legítimas, consideradas a partir de situações concretas, que podem incluir o exercício regular de direitos ou a prestação de serviços que respeitem os direitos e liberdades fundamentais.

Respondida em 09/10/2019
 
O que se entende por dados anonimizados?

Dados anonimizados são aqueles que perdem a possibilidade de associação, direta ou indireta, a um determinado indivíduo.

Respondida em 09/10/2019
 
Qual a função essencial do encarregado de dados, na LGPD?

O encarregado deverá atuar como canal de comunicação entre o controlador, os titulares dos dados e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados.

Respondida em 09/10/2019
Envie sua pergunta

Nossa equipe está a sua disposição para complementar as informações contidas neste conteúdo. Confira abaixo as regras para envio de perguntas ao DireitoNet:

Antes de enviar uma pergunta, sugerimos que faça uma busca no DireitoNet já que muitas das respostas podem ser encontradas no site
Sua pergunta deve ser objetiva, relacionada ao conteúdo acima e relevante para os demais leitores do DireitoNet
Caso sua pergunta seja respondida, você será avisado por e-mail e sua pergunta será publicada nesta página de forma anônima
Perguntas sobre casos específicos ou que incluam qualquer tipo de identificação pessoal não serão respondidas. Se você procura consultoria jurídica, recomendamos que consulte um advogado
Fica a critério do DireitoNet avaliar a relevância da pergunta e oferecer uma resposta

Você deve ser assinante do DireitoNet para poder enviar uma pergunta. Faça já sua assinatura e tenha também acesso a todo o conteúdo do DireitoNet.

Faça sua assinatura
O Direito está em constante evolução. Não fique para trás.
Acompanhe as novidades que afetam seu dia-a-dia no estudo e na prática jurídica
Conheça o DireitoNet