Este é um exemplo grátis dos 1.400 testes que você pode ter acesso como assinante do DireitoNet.

Testes

Atos administrativos II

Elementos do ato administrativo, atributos, classificação, excesso e desvio de finalidade, e formas de extinção.

Revisão geral. Este material não sofreu alterações até esta data. (14/dez/2015)
Revisão geral. (27/jan/2010)
Publicado originalmente no DireitoNet. (27/out/2003)
Direito Administrativo | 27/out/2003
Responda as 20 questões abaixo escolhendo uma alternativa de cada questão. Ao terminar, clique no botão para ver sua nota e o gabarito. Boa sorte!
1
É classificada como ato administrativo, EXCETO:
2
Ato administrativo vinculado é aquele que:
3
Haverá excesso de poder na prática do ato administrativo, quando:
4
O ato administrativo praticado com desvio de poder é:
5
É elemento do ato administrativo, EXCETO:
6
De acordo com o princípio da autotutela:
7
No que diz respeito ao controle jurisdicional dos atos administrativos, é CORRETO afirmar:
8
A autoridade que remove servidor para localidade remota, com o propósito de puní-lo:
9
Quanto à extinção do ato administrativo, é CORRETO afirmar:
10
Os atos que possuem um comando geral e impessoal, são chamados de:
11
O descumprimento de obrigação fixada no ato por seu destinário ou beneficiário, acarretará:
12
Os atos administrativos que resultam da conjugação de vontade de órgãos diferentes, são chamados de:
13
Assinale a alternativa CORRETA.
14
O ato administrativo que confere ao particular o exercício de uma atividade de profissional, tendo em vista o preenchimento dos requisitos legais pelo interessado, denomina-se:
15
A autorização do porte de arma e a licença para edificação, são atos administrativos, respectivamente:
16
Os decretos e as certidões, são atos administrativos, respectivamente:
17
Para que o ato administrativo possua eficácia externa, deverá ser:
18
Assinale a afirmação CORRETA:
19
São atributos conferidos ao ato administrativo, EXCETO:
20
A prerrogativa atribuída à Administração Pública para invadir materialmente a esfera jurídica dos particulares, sem recorrer previamente ao Poder Judiciário, denomina-se:
Imprimir