Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI


08/ago/2016
 
Histórico de atualizações deste conteúdo
18/abr/2014 Revisão geral. Este material não sofreu alterações até esta data.
08/ago/2016 Revisão geral. Este material não sofreu novas alterações até esta data.
06/mar/2013 Publicado no DireitoNet.

É um imposto federal, que admite exceção ao princípio da legalidade no que tange a alteração da alíquota pelo Executivo, não se sujeita ao princípio da anterioridade, mas apenas ao princípio da noventena. O IPI será seletivo, em função da essencialidade do produto; não-cumulativo, compensando-se o que for devido em cada operação com o montante cobrado nas anteriores; não incidirá sobre produtos industrializados destinados ao exterior e terá reduzido seu impacto sobre a aquisição de bens de capital pelo contribuinte do imposto, na forma da lei. O imposto sobre produtos industrializados tem como fato gerador o seu desembaraço aduaneiro, quando de procedência estrangeira; a sua saída dos estabelecimentos a que se refere o parágrafo único, do artigo 51, do CTN; e a sua arrematação, quando apreendido ou abandonado e levado a leilão. A sua base de cálculo está prevista no artigo 47 do CTN. Contribuinte é o importador ou quem a lei a ele equiparar; o industrial ou quem a lei a ele equiparar; o comerciante de produtos sujeitos ao imposto, que os forneça aos contribuintes definidos no inciso anterior; e o arrematante de produtos apreendidos ou abandonados, levados a leilão. O lançamento do IPI é feito por homologação.

Fundamentação:

Temas relacionados:

Referências bibliográficas:

Veja mais sobre Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI no DireitoNet.

Histórico de atualizações deste conteúdo
Críticas ou sugestões? Clique aqui
18/abr/2014 Revisão geral. Este material não sofreu alterações até esta data.
08/ago/2016 Revisão geral. Este material não sofreu novas alterações até esta data.
06/mar/2013 Publicado no DireitoNet.