Notícias

Mera ausência de advogado doente em júri não justifica prisão de acusados

Processo Penal | 07/nov/2013

Fonte: STJ - Superior Tribunal de Justiça

O simples fato de advogado comprovadamente doente faltar à sessão marcada para o júri não autoriza a prisão dos acusados, seus clientes. A decisão unânime da Quinta Turma confirma liminar concedida anteriormente e impede que os envolvidos em homicídios ocorridos em Felisburgo (MG) sejam presos apenas por esse motivo. 

O habeas corpus não impede, contudo, que os réus sejam presos por outras razões aptas a justificar eventual nova ordem de prisão. Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), depois da concessão da liminar, eles foram condenados por cinco mortes e lesões corporais em outras 12 pessoas, no episódio que ficou conhecido como chacina de Felisburgo. A pena contra um dos condenados chega a 115 anos de reclusão. 

Advogado doente 

Conforme o ministro Marco Aurélio Bellizze, a ordem de prisão expedida antes desse julgamento só apontava, de concreto e contemporâneo, a ausência do advogado de defesa na sessão de julgamento pelo júri, mesmo tendo o defensor apresentado atestado médico comprovando a impossibilidade de estar presente. 

Para o relator, embora o judiciário não possa aceitar artimanhas com o fim de evitar a conclusão da ação penal, existem à disposição do magistrado medidas outras capazes de evitar a perpetuação de supostas manobras tidas por protelatórias. 

Medidas alternativas 

A remarcação do júri, com a advertência de que na próxima sessão a ausência dos advogados constituídos levaria à nomeação de defensor público com pleno conhecimento dos autos, impediria novos adiamentos e possibilitaria a realização do julgamento. 

O ministro Bellizze concluiu seu voto ressalvando, expressamente, que diante de outros fatos e diante de necessidade fundamentada, a prisão dos condenados poderá ser decretada. 

Fonte: STJ - Superior Tribunal de Justiça

Imprimir
O Direito está em constante evolução. Não fique para trás.
Acompanhe as novidades que afetam seu dia-a-dia no estudo e na prática jurídica
Conheça o DireitoNet