Artigos

Suspensão do contrato de trabalho na aposentadoria por invalidez

Note-se que o empregado aposentado por invalidez, terá o seu contrato de trabalho suspenso, até quando perdurar a sua incapacidade laborativa para o trabalho, conforme disposto no artigo 475 da CLT.

A  Aposentadoria por Invalidez é um direito conferido aos trabalhadores que, estando ou não em gozo de auxílio-doença, forem considerados incapazes para o trabalho, sem condições de se submeter ao programa de reabilitação profissional que lhe permita o exercício de outra atividade.

Importante ressaltar que enquanto perdurar a incapacidade para o trabalho, o empregado terá direito ao recebimento das prestações relativas ao benefício de Aposentadoria por Invalidez, o qual é custeado pela Previdência Social.

As regras quanto à concessão da Aposentadoria por Invalidez foram instituidas pela Lei 8213/91, artigo 18, sendo regulamentada pelo Decreto nº 3048/99, e pelo artigo 475 da CLT.

Note-se que o empregado aposentado por invalidez, terá o seu contrato de trabalho suspenso, até quando perdurar a sua incapacidade laborativa para o trabalho, conforme disposto no artigo 475 da CLT,  do qual preceitua:

"O empregado que for aposentado por invalidez terá suspenso o seu contrato de trabalho durante prazo fixado pelas leis de previdência social para a efetivação do benefício.

§ 1º - Recuperando o empregado a capacidade para o trabalho e sendo a aposentadoria cancelada, ser-lhe-á assegurado o direito à função que ocupava ao tempo da aposentadoria, facultado, porém, ao empregador, o direito de indenizá-lo por rescisão do contrato de trabalho, nos termos do art. 477 e 478, salvo na hipótese de ser ele portador de estabilidade, quando a indenização deverá ser paga na forma do art. 497.

§ 2º - Se o empregador houver admitido substituto para o aposentado, poderá rescindir, com este, o respectivo contrato de trabalho, sem indenização, desde que tenha havido ciência da interinidade ao ser celebrado o contrato."

Também nesse sentido, a Orientação Jurisprudencial n. 375 da SDI-I do C. TST, assim dispõe:

Auxílio-doença. Aposentadoria por invalidez. Suspensão do contrato de trabalho. Prescrição. Contagem. (Divulgada em 19/04/2010 e publicada DeJT 20.04.2010) A suspensão do contrato de trabalho, em virtude da percepção do auxílio-doença ou da aposentadoria por invalidez, não impede a fluência da prescrição quinquenal, ressalvada a hipótese de absoluta impossibilidade de acesso ao Judiciário.

O artigo 47 da Lei 8213/91, dispõe que a Aposentadoria por Invalidez torna-se efetiva após cinco anos do início de sua concessão:

Art. 47. Verificada a recuperação da capacidade de trabalho do aposentado por invalidez, será observado o seguinte procedimento:

I - quando a recuperação ocorrer dentro de 5 (cinco) anos, contados da data do início da aposentadoria por invalidez ou do auxílio-doença que a antecedeu sem interrupção, o benefício cessará:

a) de imediato, para o segurado empregado que tiver direito a retornar à função que desempenhava na empresa quando se aposentou, na forma da legislação trabalhista, valendo como documento, para tal fim, o certificado de capacidade fornecido pela Previdência Social; ou

b) após tantos meses quantos forem os anos de duração do auxílio-doença ou da aposentadoria por invalidez, para os demais segurados;

II - quando a recuperação for parcial, ou ocorrer após o período do inciso I, ou ainda quando o segurado for declarado apto para o exercício de trabalho diverso do qual habitualmente exercia, a aposentadoria será mantida, sem prejuízo da volta à atividade:

a) no seu valor integral, durante 6 (seis) meses contados da data em que for verificada a recuperação da capacidade;

b) com redução de 50% (cinqüenta por cento), no período seguinte de 6 (seis) meses;

c) com redução de 75% (setenta e cinco por cento), também por igual período de 6 (seis) meses, ao término do qual cessará definitivamente.

Ocorre que em 21/11/2013, foi editado o enunciado 160 do Tribunal Superior do Trabalho, que favoreceu os trabalhadores que tiveram sua aposentadoria cancelada, vejamos:

 Enunciado 160

"....cancelada a aposentadoria por invalidez, mesmo após cinco anos, o trabalhador terá o direito de retornar ao emprego, facultando, porém ao empregador indenizá-lo na forma da lei”.

O enunciado ora mencionado trouxe uma grande evolução aos trabalhadores aposentados por invalidez. Com o intuito proteger o trabalhador o referido enunciado faz com que o segurado acometido de uma doença e afastado por muitos anos, possa, com a recuperação total de sua saúde, garantir-se no emprego, não ficando, dessa forma, totalmente desprotegido e sem um meio de subsistência.

Frente a isso, não restam dúvidas que o empregado aposentado por invalidez terá o seu contrato suspenso até quando perdurar sua aposentadoria por invalidez, porém caso o empregado se recupere da sua doença, o seu contrato será restabelecido nos mesmos moldes.

Em que pese isto, caso o empregador se recuse em restabelecer o contrato de trabalho, poderá o empregado socorrer-se ao judiciário, eis que não há que se falar em prescrição no caso de suspensão de contrato por motivo de aposentadoria por invalidez.

Nesse aspecto, no que tange a prescrição, o Tribunal Superior do Trabalho já decidiu.

RR 4610620105010054 461-06.2010.5.01.0054 - Aloysio Corrêa da Veiga - 14/08/2013 - 6ª Turma

A aposentadoria por invalidez suspende o contrato de trabalho e não impede a fluência do prazo prescricional quinquenal. Contudo, por se tratar de causa suspensiva e não extintiva do pacto contratual, não há falar em incidência da prescrição bienal, contada a partir da extinção do vínculo contratual. Precedentes. Recurso de revista conhecido e provido.RECURSO DE REVISTA. PRESCRIÇÃO. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ. SUSPENSÃO DO CONTRATO DE TRABALHO. FORMALIZAÇÃO DA RESCISÃO CONTRATUAL E PAGAMENTO DAS VERBAS CORRESPONDENTES .

Por fim, concluímos que o trabalhar que tiver a sua aposentadoria cancelada, poderá retornar suas atividades profissionais, devendo a empresa manter o seu contrato de trabalho nas mesmas condições.

Imprimir
O Direito está em constante evolução. Não fique para trás.
Acompanhe as novidades que afetam seu dia-a-dia no estudo e na prática jurídica
Conheça o DireitoNet