Poder constituinte


08/set/2016
 
Histórico de atualizações deste conteúdo
17/fev/2014 Revisão geral. Este material não sofreu alterações até esta data.
08/set/2016 Revisão geral. Este material não sofreu novas alterações até esta data.
31/ago/2012 Publicado no DireitoNet.

Trata-se do poder de elaborar e modificar normas constitucionais. Portanto, é o poder de estabelecer uma nova Constituição de um Estado ou de modificar uma já existente. É a expressão da vontade suprema do povo, social e juridicamente organizado. São duas as espécies de poder constituinte: originário e derivado.

O poder constituinte originário ou de primeiro grau é o poder de elaborar uma nova ordem constitucional, ou seja, de criar uma Constituição, quando o Estado é novo (poder constituinte originário histórico), ou de substituí-la por outra, quando o Estado já existe (poder constituinte originário revolucionário). Portanto, é um poder inicial, ilimitado, autônomo e incondicionado.

Por sua vez, o poder constituinte derivado, instituído pelo poder constituinte originário, é subordinado e condicionado. Subdivide-se em reformador, decorrente e revisor. O reformador modifica as normas constitucionais por meio das emendas, respeitando as limitações impostas pelo poder constituinte originário (artigo 60 da CF).

O decorrente é o poder investido aos estados-membros para elaborar as suas próprias Constituições. Por fim, o revisor adéqua a Constituição à realidade da sociedade, conforme artigo 3º dos ADCT.

Fundamentação:

Temas relacionados:

Referências bibliográficas:

Veja mais sobre Poder constituinte no DireitoNet.

Histórico de atualizações deste conteúdo
Críticas ou sugestões? Clique aqui
17/fev/2014 Revisão geral. Este material não sofreu alterações até esta data.
08/set/2016 Revisão geral. Este material não sofreu novas alterações até esta data.
31/ago/2012 Publicado no DireitoNet.