Prova testemunhal prevalece sobre registro em folha de presença

Prova testemunhal prevalece sobre registro em folha de presença

A presunção de que é verídica a jornada de trabalho anotada em folha individual de presença, ainda que prevista em instrumento normativo, pode ser afastada por prova em contrário. O entendimento é da Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho que não conheceu de recurso de revista do Banco do Brasil contra um ex-empregado. O acórdão seguiu o voto da relatora do recurso, juíza convocada Maria Doralice Novaes.

O banco recorreu ao TST depois que o Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR) determinou o pagamento de horas extras ao empregado com base em prova testemunhal que registrou informações sobre a freqüência distintas dos horários registrados nos cartões de ponto do bancário. No recurso, a defesa do banco alegou que "as folhas individuais de presença fazem prova eficiente e cabal devendo prevalecer sobre eventual prova testemunhal".

O acórdão regional não levou em consideração apenas os registros de freqüência do empregado porque os demais elementos contidos no processo comprovaram que a jornada de trabalho registrada nos cartões era a apenas a estabelecida pelo banco e não a efetivamente cumprida pelo trabalhador. Segundo o TRT, as provas evidenciaram que havia extrapolação da jornada ordinária e "que os controles de ponto não retratavam o verdadeiro horário de trabalho".

Para a relatora do recurso no TST, a questão da não prevalência das folhas individuais da presença como prova da jornada de trabalho já está prevista na Orientação Jurisprudencial nº 234 da Seção Especializada em Dissídios Individuais I. Para ela, se os demais elementos constantes do processo deixam claro o trabalho em sobrejornada, não pode prevalecer o registro formal de freqüência. "Tendo o acórdão regional decidido com base na prova testemunhal determinando o pagamento de horas extras não há como conhecer do recurso de revista do banco".

Esta notícia foi publicada originalmente em um site oficial (TST - Tribunal Superior do Trabalho) e não reflete, necessariamente, a opinião do DireitoNet. Permitida a reprodução total ou parcial, desde que citada a fonte. Consulte sempre um advogado.
Lista de leitura
Adicione esta notícia à sua lista de itens para ler depois
Adicionar à lista

Artigos relacionados

Leia mais artigos sobre o tema publicados no DN

Economize tempo e aumente sua produtividade com o DN PRO Seja um assinante DN PRO e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo que agiliza seu processo de elaboração de peças e mantém você sempre atualizado sobre o mundo jurídico. 7.430 modelos e documentos essenciais para o seu dia a dia Atualizados regularmente por especialistas em Direito Ideal para advogados e profissionais da área jurídica Apenas R$ 24,90 por mês Veja exemplos gratuitos