Notícias

OAB: dinheiro público não pode servir para roubalheira

Direito Administrativo | 30/mai/2011

Fonte: OAB - Conselho Federal

O dinheiro público é para ser aplicado em favor da sociedade e não pode servir para roubalheira e safadeza de políticos inescrupulosos, afirmou hoje (28) o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, durante a manifestação realizada pelas ruas de Belém, no Pará, denominada "Contra a Corrupção, pela vida e pela paz". Segundo Ophir, "é chegada a hora do povo dar um basta à corrupção porque o cidadão não merece esse tipo de gente que vive para roubar o nosso dinheiro".

Ao todo, mais de 15 mil pessoas participaram do evento promovido pela Seccional paraense da OAB pelas ruas de Belém e que teve o seu ponto alto de crítica a Assembléia Legislativa do Pará (Alespa). 'Estou muito feliz em ver os estudantes, os trabalhadores e a sociedade civil para juntos falarmos que não toleramos mais esse tipo de político", disse Ophir em tom de desabafo.

Por sua vez, o presidente da OAB-PA, Jarbas Vasconcelos, ressaltou a importância da mobilização. "A OAB foi uma das entidades que esteve à frente quando tiramos o Collor de Melo do Palácio do Planalto. A entidade também mostrou que tem força quando pediu a prisão do ex-governador Arruda, no Distrito Federal. Por isso pedimos que a sociedade acredite que aqueles que roubaram a Alepa serão julgados, condenados, terão os bens sequestrados e serão presos", afirmou Vasconcelos lembrando que "a OAB é maior do que qualquer coisa. Seu maior cliente é a sociedade e por ela é que nós vamos lutar".

Quem também esteve presente durante o ato público foi o bispo Dom Luiz Ascona. Ele subiu no trio elétrico e falou à toda população . "Eles (os políticos) estão explorando e corrompendo a dignidade e a ética do povo do Pará. Não aguentamos mais a presença dos senhores e senhoras, por isso, o povo pede que os senhores saiam voluntariamente por coerência e consciência cívica e cristã",  fazendo referência aos deputados envolvidos na fraude da Alespa. "Se afastem, caiam fora, chegou a hora histórica de um Pará lavado, renovado, limpo, com seriedade e dignidade. Esses políticos perderam a dignidade e a ética para continuar em cargo que deve servir à ética", disse.

Participaram, ainda, da manifestação os presidentes das Seccionais da OAB do Maranhão, Mário de Andrade Macieira  e do Amazonas, Antônio Fábio Barros de Mendonça.

Fonte: OAB - Conselho Federal

Imprimir
O Direito está em constante evolução. Não fique para trás.
Acompanhe as novidades que afetam seu dia-a-dia no estudo e na prática jurídica
Conheça o DireitoNet