Notícias

Autônoma não consegue vínculo de emprego com fundação

Direito Trabalhista | 25/ago/2009

Fonte: TST - Tribunal Superior do Trabalho

A Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho desobrigou a Fundação Paulista para o Desenvolvimento da Educação – FDE a reconhecer como empregada efetiva uma trabalhadora autônoma. A decisão que entendeu caracterizado o vínculo de emprego, da Justiça do Trabalho de São Paulo, foi contestada em recurso de revista pelo Ministério Público do Trabalho da 2ª Região e pela FDE.

A trabalhadora exerceu por cerca de oito anos a função de assistente financeiro na entidade, inicialmente pelo intermédio de uma empresa terceirizada e, depois, como autônoma contratada diretamente pela fundação. Sobre esse último período – de 1995 a 1998 -, a assistente ajuizou ação em que questionava o vínculo empregatício. Sua questão começou quando foi dispensada após a chegada de novos funcionários concursados.

A despeito de o TRT da 2ª Região ter confirmado a sentença inicial, afirmando que a empregada era subordinada a um chefe, ao qual prestava contas do que fazia, horários e outras obrigações relativas à subordinação, a relatora do recurso no TST, ministra Rosa Maria Weber, entendeu que o Ministério Público e a fundação tinham razão ao sustentar que a entidade, embora tenha personalidade jurídica de direito privado, tem característica de fundação pública e obedece, assim, aos princípios da administração pública – em especial o da exigência de prévia aprovação em concurso público para a contratação de seus empregados. A condenação ficou restringida ao pagamento do depósitos do FGTS.

Fonte: TST - Tribunal Superior do Trabalho

Imprimir
O Direito está em constante evolução. Não fique para trás.
Acompanhe as novidades que afetam seu dia-a-dia no estudo e na prática jurídica
Conheça o DireitoNet