Notícias

Magistratura no combate a desvios no Judiciário

Direito Administrativo | 17/out/2010

Fonte: CNJ - Conselho Nacional de Justiça

A corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, se reuniu, nesta quinta-feira (14/10), com o presidente da Associação Paulista de Magistrados (Apamagis), Paulo Dimas Mascaretti, em Brasília (DF).   No encontro,  realizado a convite da ministra, Eliana Calmon  manifestou  o respeito aos magistrados de São Paulo e  o interesse da Corregedoria Nacional em ter a magistratura como parceira no trabalho de aprimoramento do Judiciário brasileiro. “Queremos que a boa magistratura esteja unida à Corregedoria Nacional para juntos expurgarmos os que não honram a toga. Estamos do mesmo lado”, destacou a ministra.

Eliana Calmon ressaltou que o desvio de conduta não é um problema generalizado no Judiciário brasileiro. “São questões pontuais, que muito me incomodam e que acabam atingindo a magistratura como um todo”, observou a ministra. O presidente da Apamagis afirmou que a magistratura paulista está à disposição da Corregedoria Nacional de Justiça, para contribuir com a melhoria da prestação jurisdicional no país e o combate à morosidade.

“Há interesse por parte da magistratura de que esses juízes que não honram a toga sejam punidos, quando ficar comprovado o desvio de conduta”, afirmou Mascaretti. Segundo ele, embora esses magistrados sejam minoria na Justiça brasileira, eles acabam comprometendo a instituição como um todo. “Precisamos unir toda a magistratura em busca do aperfeiçoamento do Poder Judiciário”, completou o presidente da Associação. 

Também participaram do encontro o magistrado paulista e juiz auxiliar da Corregedoria Nacional de Justiça, Ricardo Cunha Chimenti, e o assessor especial da Corregedoria Nacional, desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), Silvio Marques. 




Fonte: CNJ - Conselho Nacional de Justiça

Imprimir
O Direito está em constante evolução. Não fique para trás.
Acompanhe as novidades que afetam seu dia-a-dia no estudo e na prática jurídica
Conheça o DireitoNet