TST - A-AIRR - 2582/2000-461-02-40


31/out/2008

AGRAVO. NÃO CONHECIMENTO. TRANSMISSÃO VIA FAC-SÍMILE. INEXISTÊNCIA DE IDENTIDADE ENTRE AS CÓPIAS E OS ORIGINAIS. Quem fizer uso de sistema de transmissão torna-se responsável pela qualidade e fidelidade do material transmitido e por sua entrega ao órgão judiciário, nos termos do art. 4º da Lei nº 9.800/1999. Na hipótese, o agravo apresentado via fac-símile não guarda identidade com o original, o que leva ao não-conhecimento do recurso.

Tribunal TST
Processo A-AIRR - 2582/2000-461-02-40
Fonte DJ - 31/10/2008
Tópicos agravo, não conhecimento, transmissão via fac-símile.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›