TST - RR - 726145/2001


15/abr/2005

MASSA FALIDA. DOBRA SALARIAL DO ART. 467 E MULTA DO ART. 477 AMBOS DA CLT. Esta Corte, por meio da Orientação Jurisprudencial nº 201 do TST, pacificou o entendimento de que o estado falimentar exclui a incidência da multa inserta no art. 477 da CLT, haja vista estar a massa falida impedida de satisfazer créditos fora do juízo universal da falência, a teor da diretriz emanada do Decreto-Lei nº 7.661/45. É incompatível com as normas falimentares a aplicação do art. 467 da CLT, conforme dispõe a Orientação Jurisprudencial nº 314/TST, in verbis: “MASSA FALIDA. DOBRA SALARIAL. ART. 467 DA CLT. INAPLICÁVEL . É indevida a aplicação da dobra salarial, prevista no art. 467 da CLT, nos casos da decretação de falência da empresa, porque a massa falida está impedida de saldar qualquer débito, até mesmo o de natureza trabalhista, fora do Juízo Universal da Falência (Decreto-Lei nº 7651/1945, art. 23)”. Revista conhecida e provida.

Tribunal TST
Processo RR - 726145/2001
Fonte DJ - 15/04/2005
Tópicos massa falida, dobra salarial do art, 467 e multa do art.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›