TST - AIRR - 1603/2002-007-03-40


13/mai/2005

AGRAVO DE INSTRUMENTO. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL. COMPLEMENTAÇÃO DE APOSENTADORIA. AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO. INSTRUMENTOS NORMATIVOS. NÃO-PROVIMENTO. O fato de estar previsto em instrumentos normativos a natureza jurídica de indenização do auxílio-alimentação não torna equivocada a decisão do Tribunal Regional. Primeiro porque não se tratou, simplesmente, de negar vigência ao inciso XXVI do artigo 7º da Constituição Federal, mas de interpretá-lo na hipótese dos autos e concluir que não era aplicável a diretriz coletiva diante do quadro fático de incorporação ao contrato individual de trabalho de plus salarial, recebido por vários anos. Segundo porque, no direito do trabalho, outro princípio laboral e considerado constitucionalmente, o da estabilidade econômica, garante a integração do auxílio-alimentação à remuneração do trabalhador ante o seu recebimento por diversos anos, porquanto passou a fazer parte de seu orçamento mensal, e a sua supressão ocasionaria flagrante prejuízo ao trabalhador. Terceiro porque a jurisprudência atual não admite negociação coletiva levada a efeito pelas entidades sindicais e que não apresente, de forma palpável, o benefício alcançado com alguma concessão feita pelas partes no ajuste normativo. Por fim, o dispositivo dos Acordos Coletivos, com toda a certeza, não pode dirigir-se e alcançar as questões já consolidadas, a exemplo dos presentes autos, quando já perdeu, notoriamente, o auxílio-alimentação, a natureza jurídica de indenização pela habitualidade do seu pagamento. Agravo de instrumento de que se conhece e a que se nega provimento.

Tribunal TST
Processo AIRR - 1603/2002-007-03-40
Fonte DJ - 13/05/2005
Tópicos agravo de instrumento, caixa econômica federal, complementação de aposentadoria.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›