TST - AIRR - 9793/2002-902-02-00


17/jun/2005

AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA - SPTRANS - EMPRESA GESTORA DOS TRANSPORTES PÚBLICOS ITEM IV DA SÚMULA 331/TST INAPLICABILIDADE - HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. A matéria examinada não é a mesma que determinou a edição da Súmula 331 do C. TST. Conforme sustentou o Regional, a empresa que o reclamante pretende seja condenada subsidiariamente SPTRANS - é mera gestora dos serviços gerais de transportes públicos na cidade de São Paulo e, como tal, limita-se a assegufiscalizar e exigir a prestação de serviços de transporte à população por parte das contratadas, dentre as quais se incluiu a MASTERBUS, empresa que foi condenada no pagamento das verbas traAssim, a Súmula nº 331 desta Corte não pode ser aplicada à situação em exame, porque esta trata de terceição, situação não reconhecida pela instância recorrida, sendo vedada a reção de questões fático-probatópor meio de recurso de revista, nos termos da Súmula 126/TST. Quanto aos honorários advocatícios, o Eg. Renão reconheceu preenchidos os requisitos exigidos pela Súmula 219/TST, sendo vedada a verificação de questões fático-probatória por esta instância, nos termos da Súmula 126/TST. Agravo de Instrumento a que se nega provimento.

Tribunal TST
Processo AIRR - 9793/2002-902-02-00
Fonte DJ - 17/06/2005
Tópicos agravo de instrumento em recurso de revista responsabilidade subsidiária, sptrans, empresa gestora dos transportes públicos item iv da súmula 331/tst.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›