STJ - EREsp 446092 / SC EMBARGOS DE DIVERGENCIA NO RECURSO ESPECIAL 2003/0107471-0


03/nov/2003

PROCESSUAL CIVIL. DESISTÊNCIA DE AÇÃO PARA ADESÃO AO REFIS.
HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. EMBARGOS À EXECUÇÃO MOVIDA PELO INSS.
CABIMENTO.
1. São dois os dispositivos que tratam de honorários advocatícios em
caso de adesão ao REFIS: o § 3º do art. 13 da Lei 9.964/00 e o § 3º
do art. 5º da Medida Provisória 2.061/00, convertida na Lei
10.189/01. Não foi objetivo deles criar nova hipótese de condenação
em honorários, nem modificar as regras de sucumbência previstas no
CPC ou em outra legislação. Simplesmente estabeleceram que a verba
honorária que for devida em decorrência de desistência de ação
judicial para fins de adesão ao REFIS também poderá ser incluída no
parcelamento e seu valor máximo será de 1% do débito consolidado.
2. Assim entendidos os dispositivos, verifica-se que a incidência ou
não da verba honorária deve ser examinada caso a caso, não com base
na legislação do REFIS, mas sim na legislação processual própria.
Casos haverá em que os honorários serão devidos por aplicação do
art. 26 do CPC, e em outros casos serão indevidos por força de outra
norma (v.g., mandados de segurança).
3. Em se tratando de embargos a execução fiscal promovida pelo INSS
— em que não há, portanto, a inclusão do encargo legal do
Decreto-lei 1.025/69 —, a desistência acarreta a condenação em
honorários advocatícios, na forma e nos limites da legislação acima
referida.
4. Embargos de divergência improvidos.

Tribunal STJ
Processo EREsp 446092 / SC EMBARGOS DE DIVERGENCIA NO RECURSO ESPECIAL 2003/0107471-0
Fonte DJ 03.11.2003 p. 244
Tópicos processual civil, desistência de ação para adesão ao refis, honorários advocatícios.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›