TST - RR - 32340/2002-902-02-00


30/set/2005

DESERÇÃO DO RECURSO ORDINÁRIO. PREENCHIMENTO INCORRETO DE GUIA. A jurisprudência trabalhista tem-se mostrado complacente com irregularidades marginais no preenchimento da guia DARF, pela qual se procede ao recolhimento das custas processuais. Isso porque não há norma legal específica que discipline o seu preenchimento no âmbito do Judiciário. O artigo 789 da CLT não contém regras alusivas ao preenchimento da guia; cuida apenas da fixação de critérios para o cálculo das custas, da identificação da parte responsável pelo seu recolhimento e do respectivo prazo. Nesse contexto, é forçoso que o magistrado examine as irregularidades no preenchimento do DARF à sombra do princípio da instrumentalidade dos atos processuais insculpido no art. 244 do CPC. Verifica-se que da guia pela qual o recorrente efetuou o pagamento das custas (fls. 174) constam o nome do autor e o número do processo, dados mais que suficientes para a identificação do processo ao qual se refere. Diante disso, a irregularidade de o reclamante não haver indicado o CPF correto afigura-se omissão perfeitamente escusável, insuscetível de embasar o não-conhecimento do recurso, por conta da evidência de o recolhimento, mesmo efetuado nessas condições, ter atingido a finalidade do ato processual consubstanciado no preparo do apelo. Recurso provido.

Tribunal TST
Processo RR - 32340/2002-902-02-00
Fonte DJ - 30/09/2005
Tópicos deserção do recurso ordinário, preenchimento incorreto de guia, a jurisprudência trabalhista tem-se.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›