TST - AIRR - 827/2004-030-04-40


25/ago/2006

AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA. DAS HORAS EXTRAORDINÁRIAS. ALTERAÇÃO CONTRATUAL. ACRÉSCIMO NA JORNADA DE TRABALHO. MATÉRIA FÁTICA. INCIDÊNCIA DO ARTIGO 468, DA CLT, E DA SÚMULA Nº 126, DO C. TST. Não há como se concluir, a partir do Julgado hostilizado, pela ocorrência de violação literal ao artigo 71, § 2º, da CLT, como alegado, ressaindo do decidido que, embora de acordo com o art. 71, § 2º, da CLT, o período destinado ao intervalo não seja computado na jornada de trabalho, estaria configurada situação fática que caracterizaria alteração ilícita nas condições de trabalho, nos termos do artigo 468, da CLT, em face de a jornada laboral praticada pelos Obreiros sempre ter sido de 06 (seis) horas (nestas incluídas o intervalo de quinze minutos), vindo a ser alterada, unilateralmente pelo Empregador, desconsiderando o pacto então firmado. Decidir de outra forma, ademais, importaria em debruçar-se sobre o conjunto probatório, o que encontra óbice na Súmula 126, do C. TST, atentando-se que o revolvimento do conjunto probatório encontra óbice na Súmula nº 126, do C. TST.

Tribunal TST
Processo AIRR - 827/2004-030-04-40
Fonte DJ - 25/08/2006
Tópicos agravo de instrumento em recurso de revista, das horas extraordinárias, alteração contratual.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›