TST - AG-E-ED-RR - 1019/2003-461-02-40


25/ago/2006

FGTS MULTA DE 40% - PAGAMENTO DE DIFERENÇAS DECORRENTES DOS EXPURGOS INFLACIONÁRIOS ATO JURÍDICO PERFEITO. Não há que se cogitar ofensa ao princípio constitucional assecuratório do ato jurídico perfeito, porquanto à época do pagamento da multa de 40% do FGTS pela empresa, em decorrência da rescisão contratual do Reclamante, a atualização do débito pela aplicação dos expurgos inflacionários, de qualquer modo, não poderia ter sido objeto de quitação, tendo em vista que a matéria ainda não se encontrava superada, o que veio acontecer somente com o advento da Lei Complementar nº 110/2001. Agravo a que se nega provimento.

Tribunal TST
Processo AG-E-ED-RR - 1019/2003-461-02-40
Fonte DJ - 25/08/2006
Tópicos fgts multa de 40%, pagamento de diferenças decorrentes dos expurgos inflacionários ato jurídico perfeito, não há que se.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›