TST - AIRR - 739/2006-144-03-40


29/jun/2007

AGRAVO DE INSTRUMENTO - RECURSO DE REVISTA INDEFERIMENTO DE OITIVA DE TESTEMUNHAS - PROCESSO DE EXECUÇÃO DE SENTENÇA - VIOLAÇÃO LITERAL E DIRETA DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL NÃO CONFIGURADA SÚMULA 266 DO TST. 1. Em sede de execução de sentença, o recurso de revista somente é admissível com base na ocorrência de violação literal e direta de dispositivo constitucional (CLT, art. 896, § 2º). A adjetivação da violação não é supérflua, uma vez que a via recursal, nessa hipótese, é excepcionalíssima. Violação literal significa sentenciar firmando tese que diga exatamente o oposto do que reza a Carta Magna. E violação direta significa estar a matéria em debate disciplinada diretamente pela Constituição Federal, não sendo preciso concluir-se previamente pelo desrespeito de norma infraconstitucional. 2. In casu, a discussão trazida à baila no recurso de revista diz respeito ao indeferimento da oitiva de testemunhas com as quais a Executada buscava comprovar a ocorrência de sucessão trabalhista, questão que passa, obrigatoriamente, pelo exame de violação direta de normas infracons-titucionais. O dispositivo constitu-cional esgrimido pela Agravante (CF, art. 5º, LV) diz respeito a princípio constitugenérico, não podendo, portanto, dar azo ao recurso de revista, em sede de processo de execução, já que passível, eventualmente, de vulneração indireta, na esteira da jurisprudência reiterada do Supremo Tribunal Federal.

Tribunal TST
Processo AIRR - 739/2006-144-03-40
Fonte DJ - 29/06/2007
Tópicos agravo de instrumento, recurso de revista indeferimento de oitiva de testemunhas, processo de execução de sentença.

Cadastre-se gratuitamente para acessar a íntegra deste acórdão  ›